GESTÃO DA SANIDADE DE ALTA PERFORMANCE E DESEMPENHO PRODUTIVO

O dia a dia de pecuaristas e gerentes de fazendas é dedicado a acompanhar a produção e os diversos indicadores de resultado zootécnicos, financeiros e produtivos. Para facilitar essa rotina, é preciso ficar de olho nas áreas mais sensíveis à riscos. Dentre essas preocupações, uma das que tem maior impacto nos resultados da fazenda é a sanidade do gado em confinamento.

O dia a dia de pecuaristas e gerentes de fazendas é dedicado a acompanhar a produção e os diversos indicadores de resultado zootécnicos, financeiros, produtivos. Para facilitar essa rotina, é preciso ficar de olho nas áreas mais sensíveis à riscos. Dentre essas preocupações, hoje falaremos de uma das que tem maior impacto no desempenho produtivo e resultados da fazenda: a sanidade.

Febre aftosa, brucelose, tuberculose bovina, carrapatos, mosca-dos-chifres e pneumonia são apenas algumas das doenças que podem afetar o boi durante o confinamento. Mas, como controlar tudo isso e ter uma gestão de alta performance na sanidade do seu rebanho? É sobre isso que vamos falar nesse texto.

QUAL A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DA SANIDADE?

O primeiro ponto que gestores precisam se atentar é sobre o produto final que eles desejam entregar, um animal com problemas de sanidade perde desempenho e não atinge seu máximo potencial produtivo durante o período de confinamento, o que gera um grande prejuízo no fechamento do ciclo.

Além disso, é importante ressaltar que as propriedades que investem no manejo adequado da sanidade têm grande vantagem competitiva em comparação com outros produtores e entrega garantias sanitárias reais para o mercado que ele abastece.

SANIDADE É MUITO MAIS QUE O CALENDÁRIO VACINAL OBRIGATÓRIO

Quando falamos em uma gestão da sanidade de alta performance, estamos falando de um olhar estratégico das informações relacionadas à saúde e ao desempenho animal onde a coleta dos dados no campo e os registros de ocorrências são feitos de forma criteriosa para fins de consultas e análise. Nesse sentido, a sanidade ganha uma visão mais detalhada que vai além do calendário de vacinas obrigatórias estipuladas pelos órgãos reguladores e deixa de ser um custo para se tornar um seguro da produtividade da fazenda.

A gestão da sanidade é o que vai garantir um manejo sanitário adequado, capaz de proporcionar as condições ideais de saúde para o rebanho, e isso traz um impacto direto no desempenho de ganho de peso e carcaça do animal.

A ideia central desse trabalho é eliminar a incidência de doenças, garantindo o melhor aproveitamento do material genético, o aumento da produtividade e maior retorno financeiro.

MAS AFINAL, COMO FAZER UMA GESTÃO DE ALTA PERFORMANCE DA SANIDADE?

O grau de sucesso da sanidade de uma propriedade rural está ligado diretamente a forma como é feito o gerenciamento desse controle.

Sabemos que a prevenção é a palavra de ordem, mas é preciso analisar diversos dados para fazer um planejamento sanitário adequado considerando histórico passado, controle de vacinas e medicações administradas nos animais nos locais de origem, tempo de carência individual e de lotes, dentre muitos outros.

Controlar e administrar todas essas informações de maneira correta é praticamente impossível sem a ajuda de uma tecnologia, como o TGC. A tecnologia será a principal aliada do gestor para evitar que um manejo sanitário precário se transforme em graves problemas de produção e risco para o lucro do negócio.

PRINCIPAIS ERROS NA GESTÃO DA SANIDADE

O principal erro está na forma como são registradas às ocorrências sanitárias. Por isso, ressaltamos a importância de capacitar os responsáveis pela ronda sanitária e pelo cadastro das doenças no sistema, para que identifiquem e registrem as doenças de forma correta e padronizada, evitando nomes aleatórios, erros de digitação e outros que comprometam a análise dos dados que, por sua vez, dificultam o bom planejamento do controle de sanidade.

Igualmente importante é se atentar ao registro dos fornecedores através da identificação correta dos contratos no TGC. Esse registro te dará dados preciosos sobre a qualidade dos lotes que seus fornecedores tem entregado.

O QUE VOCÊ VAI PRECISAR PARA UMA GESTÃO DA SANIDADE DE ALTA PERFORMANCE:

A GA+Intergado tem soluções completas que oferecem todo o suporte necessário para uma gestão da sanidade inteligente, eficiente e com resultados. O nosso combo de sanidade que associa a tecnologia de gestão (TGC) a um painel analítico dos indicadores (BI DE SANIDADE) é a melhor opção para quem deseja ter sucesso na sanidade durante todo período de confinamento.

A integração do TGC com o BI de Sanidade vai te mostrar de maneira clara e objetiva como está a situação da sua fazenda, no quesito sanidade. Enquanto o TGC está focado no controle dos manejos e operações (cadastro de fármacos, manejos sanitários, custos sanitários), o BI Sanidade faz a compilação dos indicadores zootécnicos e financeiros mais importante para a tomada de decisão. Nele, os gestores acompanham:

• Tratamento: os motivos de tratamento, custos por tratamento e evolução dos custos por tipo de tratamento;

• Morte: os motivos de morte, evolução por causa de morte, morte por período, prejuízo por morte (do animal e custo de oportunidade);

• Campanhas: ocorrências e custos por campanha; e muito mais.

O investimento em sanidade em confinamento tem baixo custo e traz alto retorno zootécnico e financeiro. Ter conhecimento técnico com o apoio de experientes consultores de sanidade, trabalhar com produtos de qualidade, capacitar a equipe para fazer a ronda sanitária e os manejos corretamente, ajuda o produtor e o gerente a tomar decisões mais assertivas e ter maior lucratividade.

AGORA QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI, QUE TAL BATERMOS UM PAPO SOBRE COMO O COMBO DE SANIDADE PODE ELEVAR O NÍVEL DE MATURIDADE DA SUA PROPRIEDADE? CLIQUE AQUI E FALE COM UM DE NOSSOS CONSULTORES.

Compartilhar esta notícia

ler mais

QUER SABER QUAL É REALIDADE
DO SEU CONFINAMENTO E SE ELE
JÁ OPERA DE MANEIRA EFICIENTE?

Report

QUER SABER QUAL É
REALIDADE DO SEU
CONFINAMENTO E SE
ELE JÁ OPERA DE
MANEIRA EFICIENTE?